Contabilidade e futebol: um time campeão

Uma edição do evento já foi realizada em Minas Gerais, na sede do CRCMG, no dia 25 de abril, data em que festejamos o Dia do Profissional da Contabilidade, pelo qual parabenizo todos nós que compomos a classe contábil mineira.

Essa iniciativa da Abracicon caminha lado a lado com um momento ímpar que vivemos em nosso país. Em breve, teremos uma explosão de sentimentos característica do Brasil em Copa do Mundo, aprofundada ainda mais pelo fato de esse evento estar ocorrendo aqui, no nosso país. Será difícil conter as emoções. Mas, junto com o coração, precisamos também pensar com a razão. Essa é a hora de nós, profissionais da Contabilidade, abrirmos os olhos e vermos quantas oportunidades podem se abrir à nossa frente.

Já faz tempo que os brasileiros veem o futebol também como um negócio. Os clubes cada vez mais movimentam milhões e essas cifras devem ser bem gerenciadas. Da mesma forma que a população cobra transparência do poder público, os clubes também devem ser transparentes na gestão do capital, até porque, hoje, o torcedor contribui ativamente com os lucros, sendo até mesmo chamado de “sócio”.

A teia que se forma no entorno dessa categoria é vasta: há também os patrocinadores, a indústria do entretenimento e da comunicação voltada para esse setor e, não poderíamos esquecer, o capital público que é investido, em especial aquele que foi gasto com a Copa da Mundo e que gerou a controvérsia que pudemos presenciar no último ano. Há, ainda, as implicações indiretas, como o aumento das vendas de produtos, o upgrade no setor de turismo e hotelaria, etc.

Os resultados de uma partida, portanto, nem sempre se restringem ao campo. Com um exemplo bem memorizado por todos, o futebol, hoje, pode estar relacionado, até mesmo, com o valor da passagem do transporte público. Tudo está interligado e a cobrança geral da população é por transparência. Nesse aspecto, o profissional da Contabilidade tem papel essencial.

O campo de atuação do profissional da Contabilidade, portanto, é muito vasto, e é chegado o momento de cada vez mais explorarmos a relação entre contabilidade e futebol. Tanto quanto esperamos que nossos craques tenham sucesso nos campos, devemos buscar esse sucesso em nossa atuação na área contábil, para que o brasileiro continue desfrutando do lado lúdico do esporte, mas esteja certo também da seriedade do gerenciamento do capital envolvido.

AUTOR: MARCO AURÉLIO CUNHA DE ALMEIDA É SÓCIO DIRETOR DO GRUPO ORPLAN E PRESIDENTE DO CRCMG