Responsabilidade social do contador

Acompanhando as evoluções da vida moderna, a profissão contábil assume um novo perfil nos dias atuais. A sociedade requer do contador mais responsabilidades, consciência crítica e sensibilidade ética. O contador que antes era só responsável por números e documentos fiscais agora é cobrado por uma consciência profissional e utiliza dos seus conhecimentos e competências como forma de contribuir para o aumento da taxa de sucesso das empresas. E ao auxiliar no crescimento das organizações, esse profissional impacta diretamente no desenvolvimento social e econômico de seu país e, consequentemente, no desenvolvimento da própria profissão contábil, o que lhe vincula de forma decisiva a um contexto social responsável.

Outro fator de responsabilidade social da profissão é que do contador se exige transparência na qualidade de informante confiável de uma empresa junto a órgãos fiscais competentes. Os tributos pagos por uma organização são a principal forma de arrecadação dos governos. Tais tributos, de forma ideal, devem ser injetados novamente na sociedade auxiliando em programas sociais para redução da pobreza e fomento da educação e da saúde. Para bem desempenhar essa função social, o profissional contábil deve ter vasto conhecimento sobre a legislação com maior foco nas áreas tributárias e sempre visar a ética profissional acordada nas normas brasileiras de contabilidade. Isso prova que a responsabilidade social do contador não se dá somente para com a empresa para a qual ele presta serviços, mas também para com toda a sociedade que lhe acolhe.