Instrumentos de combate à corrupção na contabilidade

Infelizmente a frequência com que a corrupção acontece em empresas brasileiras é uma realidade já conhecida mundialmente. Uma das medidas práticas que combate esse vilão é a auditoria, já adotada em muitas organizações e essencial para empresas de todos os seguimentos. A auditoria verifica a precisão dos registros contábeis e tem como objetivo evitar fraudes e irregularidades.

Um bom planejamento de auditoria pode permitir a descoberta de fraudes instantaneamente, inclusive a corrupção mesmo esse não sendo seu objetivo principal. Existe uma infinidade de técnicas de auditoria para detectar possíveis sinais de corrupção, tais como: roteiros de caixa, amostragem aleatória, parâmetros estatísticos, circularização, cruzamento de bancos de dados (fiscal, bancário, comunicações, administradora de cartões, cartórios, Detran), perícia contábil, sinais exteriores de riqueza, ausência de segregação de funções, sistema de controle interno inadequado, alta rotatividade nas contas bancárias, conflito de interesse entre acionistas e administradores, histórico de denúncias, problemas relativos à publicação dos relatórios contábeis, rentabilidade abaixo da média do segmento de mercado, significativas operações realizadas sem licitação,  ajustes excessivos na contabilidade, omissão na investigação de denúncias de subordinados ou colaboradores ou mesmo de “stakeholders” sobre possibilidade de fraudes, falta de comunicação aos órgãos competentes (CVM, Bolsa de Valores…) sobre possibilidades de risco de fraude, dentre outras.

Quando alguma fraude ou corrupção é descoberta, essa deve ser indiciada no relatório, porém se for uma prática comum na empresa convém utilizar os serviços de contabilidade forense, que se assemelha a uma investigação criminal. A auditoria constitui numa poderosa arma à disposição das organizações para o efetivo combate à corrupção. Para serviços de auditoria, conte sempre com a experiência do Grupo Orplan.